No século XXI de Thomas Piketty, a desigualdade é o tema do momento: nos Estados Unidos, veio do movimento Occupy Wall Street o slogan “We are the 99%”, fazendo alusão à grande concentração de renda no 1% mais rico da população. No Brasil, o Ministério Público propôs novo teto para o funcionalismo federal, de R$

Saiba mais…


Todos os dias médicos e pacientes vivenciam o processo de tomada de decisão. Aceitar ou não um novo tratamento. Avaliar se um medicamento parece bom. Decidir se engajar numa mudança de hábitos que levem a uma vida mais saudável. Decisões que podem impactar a qualidade de vida de um indivíduo e seu bem estar de longo prazo. Nesse

Saiba mais…


Atualmente, talvez o principal livro de Economia Comportamental seja o “Rápido e Devagar” [1] . de Daniel Kahneman. Um livro didático e ilustrativo sobre as teorias que o autor usou e desenvolveu junto com seu principal coautor, Amos Tversky. Em geral, o autor descreve um embate com a Teoria da Escolha Racional (RCT) usada na economia e

Saiba mais…


Daniel Kahneman, psicólogo e prêmio Nobel em Economia no ano 2002, apresenta brilhantemente em seu livro “Rápido e Devagar – Duas Formas de Pensar”, a forma na qual as nossas decisões combinam o uso da lógica com o uso do pensamento automático.(2) As heurísticas – esses atalhos mentais que às vezes são associados com a

Saiba mais…



Tomada de decisão Em um mundo em constante mudança, uma coisa se mantém estável: o cérebro humano. Ele continua a tomar decisões da mesma maneira como tem feito por dezenas de milhares de anos. Existem duas formas de pensamento. Uma é rápida, intuitiva e guiada pelas emoções. A outra é lenta e mais ponderada. A

Saiba mais…


Lançado em maio passado, o livro “A Caixa Preta da Governança”, de Sandra Guerra, apresenta uma contribuição fundamental para a disseminação e aplicação dos conceitos e lições da ciência comportamental no meio empresarial brasileiro. O subtítulo – “para todos aqueles que precisam entender como o comportamento impacta as salas do Conselho” – resume perfeitamente o

Saiba mais…



Um dos grandes desafios da Economia Comportamental é reunir evidência empírica para testar suas hipóteses de pesquisa. Se é verdade que isso se aplica a todos os campos da ciência e, no caso da Economia, a todas as correntes teóricas e especialidades, esse desafio é particularmente crítico em abordagens que se afastam da teoria tradicional,

Saiba mais…


A aplicação da Economia Comportamental ao campo das Finanças é bastante conhecida (área de pesquisa conhecida como Finanças Comportamentais), porém, sua aplicação à Organização Industrial, em geral, e à regulação Antitruste, em particular, é ainda incipiente. Vale então tentar identificar como estes dois campos podem ser objeto de investigação conjunta, seguindo Bailey (2015). Mas, antes,

Saiba mais…



1. Introdução Em tempos de Operação Lava-Jato no Brasil, escândalos de corrupção e revelação de esquemas de propina de servidores públicos e agentes privados permeiam a nossa realidade. Lamentavelmente, temos evidências empíricas que corroboram a tese de que as atividades de busca de renda de privilégio estão institucionalizadas no país (Lisboa e Latiff 2013). Todos

Saiba mais…


No final do mês de março, foi lançada a edição de 2017 do World Happiness Report (WRH – Relatório Mundial de Felicidade), comissionada pela ONU e editada por John Halliwell, Richard Layard e Jeffrey Sachs, acadêmicos seminais na economia da felicidade (ou “bem-estar subjetivo”). O relatório apresenta estudos em grande profundidade sobre diferentes aspectos e

Saiba mais…


Por: Ricardo Limongi França Coelho, Felipe Zambaldi e Marcos Inácio Severo de Almeida Philip Kotler, um dos pesquisadores mais famosos de marketing, discutiu recentemente como os estudos da Economia têm contribuído com o início das pesquisas em marketing. Neste aspecto, os economistas buscaram uma melhor compreensão na análise de ações promocionais e no impacto da

Saiba mais…


Semana passada, eu estava com minha família em um restaurante bastante específico comemorando o aniversário de um de nós e estávamos procurando por um vinho de uma determinada localidade. Olhei a carta de vinhos e vi que o vinho daquela localidade custava quase 60% a mais do que o de outros países, mesma uva e

Saiba mais…


Em 2002, o israelense Daniel Kahneman foi o primeiro psicólogo a receber o prêmio Nobel em Economia, por “integrar insights da psicologia à ciência econômica”1. Kahneman, é a principal referência do campo conhecido como “Economia Comportamental”, área “proveniente da incorporação, pela economia, de desenvolvimentos teóricos e descobertas empíricas no campo da psicologia”2. O enfoque da

Saiba mais…


As mulheres empreendem, inovam e provam que, apesar de ainda serem minoria em algumas áreas brilham quando o assunto é dominar o mercado e tomar as decisões no lar. “… o ser humano toma decisões a todo o momento, das mais simples – como qual caminho pegar para ir para casa – até as mais complexas

Saiba mais…


Imagine que você entra na sua primeira aula de economia, e a professora diz: “Bem-vindos. Hoje, um de vocês irá ganhar dinheiro …”  No centro da sala de aula não tem mesas, nem cadeiras. Um espaço vazio. Mas logo esse espaço está cheio de alunos gritando alto “eu compro por 5”, “eu vendo por 8”.

Saiba mais…


Jean Valjean roubou. Javert não o consegue perdoar. O seu delito atenta contra as bases da república, questiona as instituições e conduz ao caos. Porém Valjean tinha fome, e os outros têm demais daquilo que ele não tem. Os Miseráveis, a genial obra de Victor Hugo, captura magistralmente os dilemas da humanidade frente a injustiça,

Saiba mais…