Os métodos autocompositivos são possibilidades de se conseguir soluções alternativas à prestação jurisdicional tradicional. Eles têm o poder de democratizar a resolução dos problemas e colaborar com a desobstrução do Poder Judiciário. Destacam-se entre esses métodos, a conciliação e a mediação. Conforme o Código de Processo Civil (Lei nº 13.105/2015), na conciliação há um terceiro

Saiba mais…


A teoria econômica tradicional, desde pelo menos a publicação do clássico em teoria dos jogos de von Neumann and Morgenstern, dá um papel de destaque às crenças (beliefs) dos agentes econômicos. Esse papel, contudo, é meramente instrumental; ou seja, não entra diretamente na função utilidade. Os agentes utilizam suas crenças para elaborar estratégias para maximizar

Saiba mais…


Este artigo discute a importância dos spillovers em relação às intervenções comportamentais e como eles afetam a finalidade original. Um exemplo concreto pode ser visto no custo das sacolas nos supermercados que tem como objetivo “forçar” os compradores a adotar sacolas reutilizáveis que reduzam os danos ambientais.


O assunto da moda agora são as criptomoedas. Todos falam sobre isso, todos desejam criptomoedas, o assunto é notícia quente em várias mídias, todos os dias surgem pessoas montando fundos de criptomoedas e corretoras apresentando esse novo produto. O valor do bitcoin, um tipo de criptomoeda, desenha um gráfico que mais parece projeto de montanha

Saiba mais…


  1 Introdução Para quem não conhece, a Wikipédia descreve a Teoria dos Jogos como o estudo de modelos matemáticos ilustrando conflitos e cooperações entre agentes racionais. Basicamente, é o uso de ferramentas da lógica e da matemática para entender comportamentos estratégicos (1). Dentro dessa enorme teoria tem “comportamento estratégico para todos os gostos e estilos”: é dilema

Saiba mais…


Indivíduos são, antes de mais nada, humanos. E como humanos, fazem duas coisas: são otimistas no planejamento e, paradoxalmente, inconsistentes na execução. Esse gap entre intenção e ação é observado no comportamento das pessoas, pois faz parte da natureza humana. Parar de fumar, economizar para aposentadoria, fazer exercícios regularmente, ter uma alimentação saudável, ser mais

Saiba mais…


A convivência em grupos foi selecionada na medida em que aumenta a probabilidade de sobrevivência do ser humano (LIEBERMAN e EISENBERGER, 2009). Segundo Tucker e Ferson (2008), os seres humanos são organismos sociais que dependem exclusivamente de redes de cooperação e contratos sociais como forma de proteção contra riscos. Dessa forma, os modelos e estudos

Saiba mais…


No século XXI de Thomas Piketty, a desigualdade é o tema do momento: nos Estados Unidos, veio do movimento Occupy Wall Street o slogan “We are the 99%”, fazendo alusão à grande concentração de renda no 1% mais rico da população. No Brasil, o Ministério Público propôs novo teto para o funcionalismo federal, de R$

Saiba mais…


Todos os dias médicos e pacientes vivenciam o processo de tomada de decisão. Aceitar ou não um novo tratamento. Avaliar se um medicamento parece bom. Decidir se engajar numa mudança de hábitos que levem a uma vida mais saudável. Decisões que podem impactar a qualidade de vida de um indivíduo e seu bem estar de longo prazo. Nesse

Saiba mais…


Atualmente, talvez o principal livro de Economia Comportamental seja o “Rápido e Devagar” [1] . de Daniel Kahneman. Um livro didático e ilustrativo sobre as teorias que o autor usou e desenvolveu junto com seu principal coautor, Amos Tversky. Em geral, o autor descreve um embate com a Teoria da Escolha Racional (RCT) usada na economia e

Saiba mais…


Daniel Kahneman, psicólogo e prêmio Nobel em Economia no ano 2002, apresenta brilhantemente em seu livro “Rápido e Devagar – Duas Formas de Pensar”, a forma na qual as nossas decisões combinam o uso da lógica com o uso do pensamento automático.(2) As heurísticas – esses atalhos mentais que às vezes são associados com a

Saiba mais…



Tomada de decisão Em um mundo em constante mudança, uma coisa se mantém estável: o cérebro humano. Ele continua a tomar decisões da mesma maneira como tem feito por dezenas de milhares de anos. Existem duas formas de pensamento. Uma é rápida, intuitiva e guiada pelas emoções. A outra é lenta e mais ponderada. A

Saiba mais…


Lançado em maio passado, o livro “A Caixa Preta da Governança”, de Sandra Guerra, apresenta uma contribuição fundamental para a disseminação e aplicação dos conceitos e lições da ciência comportamental no meio empresarial brasileiro. O subtítulo – “para todos aqueles que precisam entender como o comportamento impacta as salas do Conselho” – resume perfeitamente o

Saiba mais…



Um dos grandes desafios da Economia Comportamental é reunir evidência empírica para testar suas hipóteses de pesquisa. Se é verdade que isso se aplica a todos os campos da ciência e, no caso da Economia, a todas as correntes teóricas e especialidades, esse desafio é particularmente crítico em abordagens que se afastam da teoria tradicional,

Saiba mais…


A aplicação da Economia Comportamental ao campo das Finanças é bastante conhecida (área de pesquisa conhecida como Finanças Comportamentais), porém, sua aplicação à Organização Industrial, em geral, e à regulação Antitruste, em particular, é ainda incipiente. Vale então tentar identificar como estes dois campos podem ser objeto de investigação conjunta, seguindo Bailey (2015). Mas, antes,

Saiba mais…



1. Introdução Em tempos de Operação Lava-Jato no Brasil, escândalos de corrupção e revelação de esquemas de propina de servidores públicos e agentes privados permeiam a nossa realidade. Lamentavelmente, temos evidências empíricas que corroboram a tese de que as atividades de busca de renda de privilégio estão institucionalizadas no país (Lisboa e Latiff 2013). Todos

Saiba mais…